Páginas

7.4.17

Novas oportunidades

Desde cedo que a minha mãe me ensinou a afastar das coisas que me puxam para baixo, mas, sobretudo, das pessoas que me fazem sentir a mais. Ninguém é mais importante do que nós, somos nós quem importamos, sempre. Eu primeiro, depois os outros. E embora eu nem sempre leve esta "receita" de mãe à letra, sei que ela tem razão e que estar triste ou sentir-me inferior ao mundo por algo ou alguém é injusto. Eu não posso recusar-me nunca a novas oportunidades.
Afastar-me do mundo nas últimas semanas fez-me bem, aliás fez-me perceber que eu realmente importo.

Sem comentários: